Quando você deve considerar modernizar o logo da sua empresa?

Uma identidade visual bem construída é essencial para que uma empresa seja facilmente lembrada. É através do logotipo e de uma identidade visual consistente que os clientes terão o primeiro contato. Muitas vezes, ao pensar apenas no custo, alguns empresário(a)s optam por criarem a sua própria identidade visual, o que resulta muitas vezes em um logotipo que não representa da melhor forma o negócio ou não passa uma imagem profissional. 

Se este é seu caso, talvez esteja na hora de pensar em fazer um redesign.

Mas o que é redesign?

Redesign é basicamente a reformulação do design de algo, neste caso, de um logo ou de uma identidade visual. Ele é necessário para alinhar a representação visual da empresa com o momento atual.

Mas antes de iniciar este processo é necessário fazer um planejamento e entender os motivos da necessidade da mudança. O redesign não deve ser decidido superficialmente, ele vem como uma solução para problemas encontrados.

Então para te ajudar a identificar se seu logo precisa de um redesign, listamos 10 itens para serem avaliados.

  1. Necessidade de atualização do design: quando as representações visuais não condizem com a atualidade, estão antiquadas.
  2. O logo não transmite profissionalismo, não foi desenvolvido por um profissional especializado e foi criado sem um briefing, sem informações sobre a empresa.
  3. Mudança de posicionamento, gestão.
  4. O design não expressa mais a personalidade da marca.
  5. A empresa está mudando a área de atuação ou de público-alvo.
  6. As cores não se aplicam ao segmento da empresa.
  7. A tipografia escolhida atrapalha a leitura da marca.
  8. Existem muitos logos parecidos com o seu. 
  9. O logotipo/identidade visual não se diferencia dos concorrentes.
  10. Logotipo não tem aplicabilidade nos meios digitais.

Esses são apenas alguns dos motivos para fazer um redesign de marca.  Vale ressaltar sobre a importância de contratar e consultar profissionais especializados para realização deste trabalho. Bons profissionais analisarão informações (briefing), farão pesquisas e com base nisso desenvolverão a opção que melhor representa o seu negócio. Contratar um profissional evita erros como a utilização de materiais sem licença, plágios, erros nas escolhas das cores e seus significados, tipografias etc.  É imprescindível que a identidade visual criada acompanhe os bons princípios do design, mas que não siga modismos. Quando se segue modismos o logo fica datado, e quando a tendência passa, precisará de nova modelagem. Depois que o seu logo e identidade visual estiverem aprovados e direito seu possuir os arquivos finais, nunca deixe esses arquivos apenas com o profissional que os criou, você deve guardar em um lugar de fácil acesso pois sempre vai precisar utilizar. Perder esses arquivos pode gerar custos no caso de precisar fazer o material novamente.  É por último, porém não menos importante, a identidade visual não é um custo, é um investimento que você faz na sua empresa. 

Vai abrir uma empresa? Saiba por que deixar a identidade visual por último é um erro.

Todos os dias, nascem novas empresas. São negócios promissores, com alto potencial de crescimento. E para abrir um novo negócio é preciso fazer vários investimentos. Além de toda a parte burocrática, existe toda a parte da estrutura em si. Quando tudo está quase 100%, do que se lembra? Que essa empresa precisa ter uma “cara”. Precisa de um logo, de uma identidade visual. Afinal é pela identidade visual que o cliente terá seu primeiro contato com a sua marca, por isso ela é tão importante. 

É muito comum pensar na identidade visual como etapa final de todo o processo. Porém isso é um grande erro, a identidade visual precisa ser vista como uma prioridade. Confira alguns problemas mais comuns que podem acontecer por deixar essa etapa por último:

 

  • A verba acabou!  O empresário(a) já investiu em todas as outras áreas da empresa e agora não tem mais tantos recursos financeiros para contratar um serviço profissional. A solução provisória é criar o logotipo em algum site, aplicativo ou pedir para aquele conhecido, que não trabalha profissionalmente e não tem os conhecimentos técnicos necessários, desenvolver o projeto. O resultado muitas vezes é uma identidade sem muita personalidade, que apresenta problemas de construção, de aplicação ou legibilidade, sem significado ou propósito.

Não estou generalizando e dizendo que todo serviço muito barato necessariamente será ruim, mas lembra daquela frase: o barato sai caro? Já me deparei com pessoas que descobriram que seus logotipos foram plagiados, copiados da internet. Já pensou na dor de cabeça de investir na produção de fachada, papelaria, uniformes, plotagens para descobrir que o logotipo é plagiado e que você ainda pode ser processado pela empresa detentora dos direitos da marca? Tudo isso pode ser evitado contratando profissionais especializados.

 

  • Existe verba disponível para fazer o investimento em uma identidade visual, porém não houve planejamento e o projeto precisa ficar pronto” pra ontem”. 

Para construir uma identidade visual forte, com propósito são necessárias algumas etapas importantes. Começando pelo briefing, que é um questionário que o profissional que desenvolverá a identidade visual fará com o empresário/empresária com objetivo de extrair informações importantes para o projeto, tais como: conhecer a empresa, seu posicionamento, personalidade, público-alvo, produtos/serviços, diferenciais etc.

Depois de levantar todas as informações necessárias sobre a empresa e sobre as demandas da identidade visual, inicia-se o processo de análise dessas informações e pesquisas de referências. Neste ponto se inicia a conceituação, a construção do mapa mental levantando os pontos principais e diferenciais para construir a identidade visual com embasamento e pesquisa, nada é feito por acaso e tudo deve ter uma explicação. A escolha da paleta de cores seguindo os princípios da psicologia das cores, tipografia, atributos da marca, simbologia, escolha de arquétipo, pontos de contato, aplicação. Tudo deve ter um porquê e estar condizente com as informações coletadas no briefing. 

Por isso um trabalho assim não pode ser feito de um dia para o outro. É preciso analisar todas as informações para traduzi-las em uma representação visual para a empresa. 

Identidades visuais fortes têm significado, não são construídas por acaso ou por estética, elas devem ser estratégicas. Depois de definida, a identidade visual vira o alicerce de todas as identidades do negócio, online e offline. Toda a comunicação deverá seguir a mesma linguagem, o mesmo padrão visual para que o público faça rapidamente uma associação com a empresa. Investir em uma identidade visual faz a diferença e quando bem concebida, demonstra visualmente profissionalismo, credibilidade e confiança, gerando ainda mais valor para o seu negócio.

 

O que você precisa saber antes de escolher o nome de uma empresa.

O nome de uma empresa é um de seus maiores patrimônios. Mesmo que a marca mude ao longo do tempo devido a necessidade de modernização ou de posicionamento, o nome permanecerá igual, salvo raras exceções. É por ele que uma empresa será reconhecida e diferenciada.

Escolher o nome de uma empresa é algo que, a princípio, parece simples, porém quem já teve que desempenhar essa tarefa pode afirmar o contrário. Por isso evidencio alguns fatores que devem ser levados em consideração.

Ao pensar em um nome lembre-se que ele precisa ser simples, fácil de lembrar, memorável. Fácil de falar e de ler. Gerar associações positivas. Vale pensar na localização da sua empresa, será que é válido usar um nome em inglês ou em outro idioma? Seu público-alvo falará esse nome com facilidade? Entenderá facilmente via telefone?

Só através de muitas pesquisas, análises e várias tentativas é que se chegará a um nome interessante, autêntico e único. Além de tudo isso, é válido lembrar que este nome precisa ser legalmente protegível. Por isso, evite ao máximo os nomes óbvios, possivelmente esses nomes já possuem registro e não estão mais disponíveis.

“A Lei da Propriedade Industrial (Lei 9.279/96) define que a pessoa/empresa que registrar primeiro uma marca terá direito ao uso exclusivo da mesma em todo o território nacional. Ou seja, mesmo que sua empresa opere há anos no Brasil com um nome não registrado, a partir do momento que um terceiro faça o registro, ele terá o direito sobre essa marca. Com isso, você será obrigado a parar de usar o nome de sua empresa, impactando diretamente o seu negócio.”

Mas como saber se o nome está disponível?

Comece fazendo uma busca no Google e nas redes sociais com o nome que você escolheu. Assim terá resultados abrangentes sobre o mercado, concorrentes e também pode verificar se já existem empresas utilizando esse nome.

Porém isso não é tudo, para saber se a marca já existe legalmente você precisará fazer uma busca mais aprofundada, precisa pesquisar no site do Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI), que disponibiliza sua base de marcas para consulta pública.

Se tudo estiver correto, faça o registro o quanto antes para evitar plágios e cópias de sua marca. O registro evita que outras empresas possam usar o seu nome.

Optar por não registar a sua marca pode oferecer riscos se outra empresa fizer o registro primeiro. Você pode receber uma notificação para deixar de utilizar o nome, isso pode gerar muitos prejuízos para a sua empresa, inclusive o financeiro. Imagine que você já fez um grande investimento em placas, plotagens, papelaria, uniformes e já é bem reconhecido pelo nome que usa.

É válido ressaltar que que existem empresas especializadas em naming (processo de criação de nomes) e em registro de marca. Considere sempre ter um acompanhamento profissional para te auxiliar na realização destas etapas. Com certeza é um investimento válido que pode evitar problemas futuros. O valor de uma marca é imensurável, e esse é um dos principais motivos para registrá-la.

Deixo aqui alguns links para consultar a disponibilidade de nomes, tanto em domínios para sites como em redes sociais e também no INPI – Instituto Nacional da Propriedade Industrial:

https://namechk.com/ – pesquisa disponibilidade de domínio em sites e também disponibilidade do nome para redes sociais.

https://registro.br/ – Pesquisa disponibilidade de domínio para site e oferece a possiblidade de registro.

https://www.gov.br/inpi/pt-br – Pesquisa para disponibilidade de registro de marca.

O empreeendedor sentirá uma leve pressão no texto

Empreender não é tarefa fácil, o acúmulo de funções e preocupações diárias muitas vezes consomem muito tempo e algumas questões importantes vão ficando de lado, como a comunicação e gestão da própria marca.

Um dos maiores erros dos empreendedores de pequenas e médias empresas e achar que a comunicação é um gasto desnecessário, um “desperdício” de dinheiro. Embora muitas vezes infelizmente não esteja entre as prioridades do negócio, é muito importante sim, pois é o canal com o público. Inclusive a falta de conhecimento de seus gestores em comunicação é uma das principais causas da mortalidade infantil das empresas.

Imagine assim, seu concorrente cuida e entende que a comunicação é algo importante e deve ser tratada como tal. Já você, tem suas redes sociais desorganizadas, com conteúdo pouco relevante e até com erros de português ou é um combo de tudo com aquele site abandonado que parece que foi feito no século passado. Será que você está passando uma boa imagem e credibilidade para o seu consumidor? As pessoas vão sentir vontade de comprar, consumir seu produto ou serviço?

Então a dica é, o plano de negócio precisa incluir o investimento em comunicação, nem que seja mínimo no começo. Mas não se preocupe, nunca é tarde para começar.

Pensando em tudo isso, o lendário, o pai do marketing Philip Kotler tem umas palavrinhas para você empreendedor: As empresas prestam muita atenção ao custo de fazer alguma coisa. Deviam preocupar-se mais com os custos de não fazerem nada.

E o custo existe, e começa a ser sentido quando o seu concorrente fica com um cliente que poderia ter sido seu, por não te encontrar no Google, nas redes sociais, ou te encontra mas julgar que você não merece a atenção dele, afinal você não investiu para isso né?

Ambientes instagramáveis. Seu cliente vendendo para você.

As redes sociais são ferramentas muito poderosas na divulgação de qualquer produto, marca ou serviço, isso não é nenhuma novidade. Além disso, com elas surgiram novas palavras, um novo perfil de consumidor e novas profissões, olá digital influencers.

Mas uma nova palavra que se torna importante aqui surgiu com as redes sociais, foi a palavra “instagramável”, sim, ela não existe no nosso dicionário mas tem significado e já tem muitas buscas pelo Google. Tá, sem enrolação, vamos a explicação do termo. A palavra como já dá para imaginar é inspirada na popular rede social Instagram, e basicamente  tem relação com tudo aquilo que é esteticamente perfeito, bonito, “postável”  ou seja, aquela foto que quando aparecer fará sucesso no feed com os usuários já que o Instagram tem completo apelo visual.

Agora que você já sabe do que se trata, vamos falar de ambientes instagramáveis? Não, não desista deste texto que tem muita informação legal ainda.  

Então, com a influência das redes sociais na vida das pessoas, todo o usuário que tem perfil no Instagram pode ser um produtor de conteúdo e influenciar pessoas. Como o apelo da rede é bastante estético, há um cuidado muito grande com as imagens que são compartilhadas. É  incansável a busca pela foto perfeita, aquela que renderá muitos likes, apesar da rede ter retirado a contagem, a gente sabe que você se importa com isso, todo mundo se importa, nós também nos importamos,  estamos falando de uma rede que tem ego elevado rsrs.

É aí que as marcas entram, por que não facilitar o processo da foto perfeita e atrair essas pessoas? Isso já está acontecendo a todo o vapor. Atentas a esse perfil de comportamento espaços são desenvolvidos com muita criatividade, design,  muito bem decorados e muito interessantes que despertam o desejo de fotografar e compartilhar nas redes sociais, sendo o Instagram, o principal. Isso também é marketing de experiência.

E se você está pensando somente em grandes produções, não se trata disso, pense naquele espaço bem decorado, com uma luz boa, isso pode ser implementado em uma loja de roupas, um bar, uma padaria, até um banheiro pode virar um bom lugar para produção de fotos, sim, não leu errado, um banheiro. Todo lugar deve ser pensado de forma especial, pode ser com uma quadro bonito, um letreiro luminoso, luzes coloridas, luminárias, plantas, bilhetinhos, cores vibrantes, frases na parede, arte com grafite, móveis estilosos. Até comidas bonitas entram no ambiente instagramável. Tudo para quebrar padrão, transformar lugares sem graça e normais em espaços lindos, aconchegantes, que tem criatividade e vida, basta colocar a imaginação para funcionar, se você puder contar com bons profissionais para desenvolver isso, melhor ainda, pois na arquitetura por exemplo essa também é uma forte tendência de mercado.

Com a geração de conteúdo espontâneo reforça-se a principal e mais antiga forma de marketing, o marketing boca a boca. As pessoas amam lugares diferentemente lindos assim, não só amam, como postam e consequentemente atrairão mais e mais pessoas para fazer o mesmo, é um processo natural. E adivinha quem ganha com tudo isso? Você também querido proprietário ou proprietária de marca, são seus clientes vendendo sua empresa por você.

 

Sensação do momento TikTok: sua empresa está perdendo por não apostar nessa nova rede social?

Esta nova rede social cresceu absurdamente em pouco tempo, é inegável o seu sucesso.

No ano passado foi o aplicativo mais baixado durante o mês de agosto para as plataformas Android e iOS, segundo a Sensor Tower (consultoria especializada no mercado de downloads de aplicativos móveis). O serviço conseguiu desbancar poderosos nomes como WhatsApp, Instagram e YouTube. 

Mas o que é o Tik Tok? A origem está na China e é resultado da fusão de duas plataformas: a Musical.ly e a Douyin. Ele é uma rede social de vídeos curtos, com duração de 15 segundos a 60 segundos possibilita os usuários fazerem gravações divertidas, dublagens, e abusarem das ferramentas de edição de audiovisual,a ferramenta aposta no humor para ganhar público.

Muitas marcas já enxergaram um grande potencial em utilizar essa ferramenta para conquistar maior aproximação com o público e também muitos influenciadores digitais que com criatividade conseguem viralizar seus conteúdos por lá.

Diante de tanto sucesso, você deve estar pensando em cadastrar a sua empresa na plataforma, certo? Bom, tenha calma, pois existem pontos a serem considerados

O público é bem definido, por sua maioria bem jovem. Porém, se você quer começar a usar agora, seria mais interessante focar nesse público com idade entre 16 e 24 anos, já que 41% dos usuários da rede social estão dentro dessa faixa. No geral muitos jovens entram no Tik Tok para fugir dos adultos.

Porém quando um aplicativo começa a chamar atenção a tendência é atrair o público mais maduro também, coisa que já está acontecendo. Então é bom ficar atento.

Outro fator a ser considerado. Você está alimentando as redes sociais já existentes do seu negócio? Ou só vai criar mais uma apenas pelo fato da tendência? Lembre-se não adianta de nada estar em um novo canal e não criar conteúdo e interagir com seu público, pega esse toque.

Vai abrir uma empresa? Saiba por que deixar a identidade visual por último é um erro.

Todos os dias, nascem novas empresas. São negócios promissores, com alto potencial de crescimento. E para abrir um novo negócio o empresário se prepara para fazer investimentos. Além de toda a parte burocrática, existe toda a parte da estrutura em si, aluguel de sala, mobília etc.. Quando tudo está quase 100% do que se lembra? Que essa empresa precisa ter uma “cara”. Precisa de um logotipo, de uma identidade visual.

É muito comum pensar na identidade visual como etapa final de todo o processo. Porém isso é um erro constante, a identidade visual tem que vir por primeiro. Pontuamos os dois problemas mais comuns que podem acontecer por deixar essa etapa por último:

1. A verba acabou!  O empresário já investiu pesadamente em todas as outras áreas da empresa e agora não tem mais tantos recursos financeiros para contratar um serviço profissional. Não estamos generalizando e dizendo que todo serviço barato será necessariamente ruim, mas lembra daquela frase: o barato saí caro! Já atendemos pessoas que descobriram que seus logotipos foram plagiados, copiados da internet. Já pensou na dor de cabeça de investir na produção de fachada, papelaria, uniformes, plotagens para descobrir que o logotipo é plagiado e que você ainda pode ser processado pela empresa detentora da marca?

2. A verba não acabou, porém não houve planejamento e a identidade visual precisa ser feita ”pra ontem”, pois a data de inauguração já foi marcada. Já ouviu aquela frase: a pressa é inimiga da perfeição? Pois é, aqui se mostra que é pura verdade. Para construir uma identidade visual forte, com propósito são necessárias várias etapas. Começando pelo briefing, que é o conjunto de perguntas que o profissional que desenvolverá a identidade visual fará para o empresário para entender qual o objetivo da empresa, seu posicionamento, personalidade, público-alvo e muito mais, só assim é possível criar uma marca que realmente represente a sua empresa. Se ninguém te perguntou nada sobre o seu negócio, como que fará um trabalho alinhado com seus objetivos? Depois de receber todas as informações é preciso iniciar as pesquisas, buscas de referências, escolhas da paleta de cores, da tipografia, simbologia e aí sim partir para o “desenho”. Por isso um trabalho assim não pode ser feito de um dia para o outro. Identidades visuais fortes tem significado, não são construídas por acaso ou só porque ficou bonito. Se um logotipo bonito sem significado é ruim, imagina um feio sem? Com certeza não é essa a imagem que se quer passar para o público né? A identidade visual é o primeiro passo para iniciar um relacionamento com o mercado, fundamental para empresas que querem se destacar. Logotipo não é apenas um desenho, um símbolo, mas sim um conceito transmitido através de uma imagem e, quando bem concebido, demonstra visualmente profissionalismo, credibilidade e confiança.

Depois de definida, a identidade visual vira o alicerce de todas as identidades do negócio. A identidade visual está presente até mesmo na parte física da empresa, na fachada, nas cores escolhidas para compor os escritórios, mobília ou áreas externas, etc. Toda a comunicação deverá seguir a mesma linguagem, para que os funcionários e clientes consigam rapidamente fazer a associação com a empresa, mantendo-a sempre na mente e criando uma identidade memorável.

Gostou do texto? Conta pra gente!

 

5 erros comuns no design de logotipos

1 – Logotipo copiado
Quando falamos de logotipo, não é errado procurar algumas referências, o problema é quando o modelo vira bem mais do que inspiração, e o “novo” logotipo fica muito, mas muito parecido. Então evite copiar aquela marca famosa que você acha legal. Saiba que fazer isso além de perigoso por questões legais (plágio), mostra pouca atenção e esmero na construção de um logotipo, que precisa ser único e exclusivo.

 

2 – Não siga modinhas
Você já comprou aquela roupa da moda foi em algum lugar e encontrou mais pessoas vestidas iguais a você? É uma situação bem chata né? Bom, saiba que isso acontece com os logotipos também, quem segue tendência, assim como a moda, muito provavelmente vai encontrar um logotipo bem parecido com o seu.
Você pode até falar “me copiaram”! Nada disso, se você seguiu modinha, quem viu um viu todos.
E também como a moda que passa e se reinventa, um logotipo baseado em modismos também fica ultrapassado e precisa ser atualizado. Então o ideal é fazer um logotipo único que possa ser usado por muitos anos.

 

3 – Figuras genéricas não te diferenciam
Vamos fugir do óbvio? Vamos! Logotipo de imobiliária representado com elemento casa, no caso de dentista então aparece um dente, é muito comum usar o símbolo para representar o mercado de atuação.
Mas fazer isso é errado? Não, de maneira nenhuma, mas sua diferenciação com a concorrência vai ser bem pequena. Afinal, dava para ter sido mais criativo né?

 

4 – Para não errar nas cores
A cor é um dos elementos mais fortes de um logotipo. Mas as cores não devem ser escolhidas seguindo o gosto pessoal. Essa deve ser uma decisão baseada na psicologia das cores, porque cada cor possui um significado e tem o poder de despertar emoções e sentimentos universais nas pessoas.

Já se perguntou por que as empresas de fast food utilizar o amarelo? Porque ele reforça os sentimentos de conforto e confiabilidade. Só de você avistar o logo de uma dessas redes, já faz com que seu corpo produza uma sensação de felicidade e bem-estar. Muitas redes de fast food também utilizam a cor vermelha no logo, o que, pode estar associado ao sentimento de fome. Viu? Nada é por acaso!

 

5 – A fonte pode falar muito sobre seu negócio
Aqui é que muita gente erra também, você sabia que a escolha equivocada do estilo de fonte para o seu logotipo pode passar uma mensagem diferente daquela desejada?
Para exemplificar, imagine que o seu negócio é na área financeira. Já imaginou se no seu logotipo a fonte utilizada fosse uma bem redondinha, com letras bagunçadas bem parecida com aquelas encontradas em embalagens de brinquedos?
Será que essa fonte é a melhor para representar um negócio sério? Lembre-se a fonte utilizada precisa ser clara e refletir a personalidade da marca.

E para finalizar, já que vimos à importância de vários fatores na construção de um logotipo, a principal dica de todas vem agora: contrate um profissional qualificado, nada de amadorismo. Afinal, não é essa imagem que seu logotipo quer passar não é mesmo?

 

Salvei imagem da internet. Posso usar para divulgar minha empresa?

Uma boa imagem é essencial para atrair a atenção do público e consequentemente promover um produto ou serviço. Porém você não pode simplesmente abrir o Google Imagens ou qualquer outro site, salvar alguma imagem interessante e utilizá-la nos materiais da sua empresa sem critério. Sabe por quê?

Muitos artistas, fotógrafos, ilustradores postam seu trabalho na internet para divulgar e conseguir novos trabalhos. O fato de a imagem estar na internet não significa que ela não tem uma autoria e que não está protegida pela lei federal do Direito Autoral.

Todos os produtos literários, científicos e artísticos são frutos do esforço técnico e intelectual de alguém e por isso são protegidos por lei, garantindo que os autores tenham total propriedade sobre suas obras e o destino delas.

Quando você usa uma imagem sem autorização está cometendo um ato ilícito. Ou seja, poderá sofrer uma ação judicial com direito a indenização dos autores. E você não quer o nome da sua empresa envolvido em algum processo judicial né?

Para fazer o uso correto de imagens, ilustrações, você pode comprar prontas em bancos de imagem especializados ou também baixar imagens de bancos gratuitos.

Não vacile com sua marca e respeite o direito autoral.

*Confira 11 sites com imagens gratuitas e de alta qualidade para sua empresa:

FreePik – ( Necessário atribuir crédito das imagens) Descarga gratis Vectores, Fotos de Stock y PSD | Freepik

Rawpixel – Free Stock Images, Vectors & PSD Mockups | rawpixel

Unsplash – Beautiful Free Images & Pictures | Unsplash

Pixabay – – Pixabay

Stockvault – Winter – Free Stock Photo by Geoffrey Whiteway on Stockvault.net

Getrefe – Getrefe: Natural Looking Photos, Shop with Discount Coupons & Cashback

Libreshot – Nature – Free Stock Photos ::: LibreShot :::

Reshot – Reshot – Authentic free stock photos

PicJumbo – picjumbo: Free Stock Photos

Vecteezy – Download Vetores Gratis, Desenhos de Vetor, Modelos e Clipart (vecteezy.com)

Pexels – As melhores fotos gratuitas · Pexels